Dados de WIM são utilizados para avaliar as cargas de tráfego em estruturas de ponts, para vários propósitos:

  • Desenvolvimento e calibração de códigos de carga ponte
  • Desenho de pontes não convensionais, por exemplo, com extensão mais longa do que o máximo especificado no código ponte (> 200m para o Eurocode)
  • Cálculo para a avaliação dos danos por fadiga e vida útil
  • (Re) avaliação das estruturas existentes

Calibração Código Ponte

Originalmente, as cargas de projeto consideradas nos códigos de ponte eram bastante artificial e muito acima das cargas de caminhão de verdade, principalmente porque as pontes foram projetadas com uso do peso próprio (cargas permanentes) e não calculados com precisão. Desde o último quarto do século 20, as estruturas mais leves são projetadas com programas de computador avançados e os pesos de caminhões aumentado. Portanto, as cargas de projeto da ponte ficaram mais importantes. Com a abordagem semi-probabilística (fatores de carga e resistência, fatores de segurança), os novos códigos de carga ponte são projetados e calibrados utilizando pesos brutos reais e distribuição de carga por eixo (por exemplo, código de Ontário ponte, 1978, Eurocode 1991-2, etc.).

Os dados de WIM coletados em rotas diferentes e durante longos períodos de tempo permitem derivar distribuições probabilísticas confiáveis. Por exemplo cálculo de cargas extremas com um determinado período de recorrência (por exemplo, de 1000 anos para cargas de tráfego no Eurocode), são derivados a partir dos dados WIM por extrapolação para calibrar as cargas de projeto.

Projecto de estruturas não -padrão

Códigos de projeto, como Eurocode 1991-2 para cargas de tráfego em pontes, aplicam-se a estruturas padrão. Por exemplo, pontes com vãos superiores que 200 metros, ou outras estruturas excepcionais, requer um planeamento cuidadoso e detalhado, tanto por razões económicas, como de segurança. Com dados de WIM real e adaptados é possível fazer um projeto otimizado ou verificação em serviço. Pontes de grandes extensões suspensas ou estaiadas estavam entre os estudos de caso: Ponte de Storebaelt, na Dinamarca, a ponte Severn no Reino Unido, Millau viaduto e ponte da Normandia, na França, etc.

bridge1
bridge2
bridge3

 

Projeto fadiga e avaliação

Danos por fadiga e tempo de vida é um estado limite crítico sobre todas as pontes de aço e partes de pontes de compósitas. As cargas do tráfego induzem ciclos de tensão repetidas que podem iniciar e, em seguida, propagar rachaduras até uma falha parcial ou o colapso da ponte. "Rainflow" histograma de ciclos de tensão são calculados usando os dados WIM e linhas/superfícies de influência, e, em seguida, combinado com curvas de fadiga (S-N) em um modelo de Miner para avaliar todo o ciclo de vida para um determinado aspecto ou a probabilidade de falha para um determinado tempo de vida (abordagem probabilística).

bridge4,

Re -avaliação de pontes existentes

Segurança das estruturas existentes requerem avaliações periódicas da capacidade de carga e de carga de tráfego, sobretudo em caso de deterioração estrutural ou do envelhecimento estrutural. Aplicando as cargas de código de projeto de ponte, em sua maioria, leva à conclusão errônea de que a estrutura não é segura, porque essas cargas contêm margens de segurança e, portanto, podem ser muito maiores do que as cargas de tráfego reais. Além disso, pontes antigas foram concebidas com os códigos antigos e de menores cargas de projeto. Inversamente, em alguns casos, as cargas de tráfego evoluíram dramaticamente e podem ser necessários reforços. Em todos os casos, é necessário um conhecimento mais preciso das cargas de tráfego atuais, WIM, e para a fadiga reavaliação de toda o histórico de carga do tráfego é necessária.

Avaliação do efeito do peso e dimensões dos veículos em pontes

Os dados de tráfego gravados pelos sistemas WIM dão uma visão real do tráfego, em um determinado local e num determinado momento. O impacto de qualquer mudança na regulamentação em relação ao peso e dimensões para os veículos pesados pode ser avaliada através da análise dos dados WIM antes e depois da alteração na regulamentação.
Antes de alterar a regulamentação, aumentando os limites de peso, pode ser útil avaliar por simulação o impacto da nova regulamentação sobre as pontes da malha. Suposições podem ser feitas sobre a evolução do tráfego depois da mudança de limite de peso, ainda, os arquivos de dados de tráfego gravados podem ser adequados em conformidade, sendo assim, os efeitos sobre pontes podem ser avaliados. Esse procedimento já foi realizado em virtude do aumento para 44 toneladas no caminhão de 5 eixos articulado e na introdução do caminhão mais longo e pesado (EMS) com até 60 toneladas e 25.25 m em alguns estados membros da UE.